Deputado

Aos 70 anos, não estou mudando os rumos da vida. Apenas estou juntando a eles os frutos da minha experiência em favor da justiça. Na verdade, passei minha vida entre as leis. Quando não trabalhei como juiz e desembargador, dei aulas de direito e de cidadania. Um viés que me aproximou dos jovens e do universo da educação e qualificação profissional, como professor da Escola de Magistratura de São Paulo e da Faculdade de Direito da Universidade Mackenzie por quase uma década e com a honra de ter sido escolhido pelos alunos como paraninfo e professor homenageado.

Fui professor visitante da Universidade de Georgetown em Washington e ministrei cursos de direito e de jurisprudência na Romênia, além de aulas de pós-graduação em todo Brasil para procuradores, promotores e juízes. Perdi a conta do número de palestras sobre direito e cidadania, incluindo conferências na Itália, Peru, Bolívia, Argentina, Espanha e Estados Unidos.  Faço essa dissertação por vaidade tola, mas pelo orgulho que tive das tarefas.

Meu papel como deputado, caso eleito, será fundamentalmente o de integrar estreitamente os cidadãos italianos ou de dupla cidadania da América do Sul ao país Itália. Cumprir o meu sonho de reforçar a nossa italianidade. a teoria e na prática. No primeiro caso, com a disseminação de ideias, da reflexão e da consciência sobre a italianidade. Cumprir o meu sonho de reforçar a nossa italianidade. Na teoria e na prática. Estimular à exaustão a participação de todos nas eleições, independentemente do candidato, pois esse passo de cidadania beneficia a todos, coletivamente, na busca do bem-estar que todo ser humano merece. A abstenção dos ítalo-brasileiros é assustadora: 80%. Como esses eleitores poderão mudar alguma coisa a seu favor na legislação italiana com tal isolamento? No segundo caso, realizando aquilo que qualquer deputado bem intencionado deve privilegiar na missão de representar dignamente seus eleitores: batalhar por leis justas que os favoreçam. Nesse aspecto, conto com minha experiência e conhecimentos jurídicos para gerar projetos de lei produtivos que irão beneficiar todas as partes.

Por falar em eleição, um último compromisso: não serei candidato a novo mandato, conforme a lei permite. Sou contra a reeleição para o mesmo cargo. A esse respeito lembro o ex-prefeito Pisapia, de Milão, que deixou o posto com altíssima aprovação e reeleição tranquila, sem, contudo, se candidatar. A reeleição contrariava seu ideário político.