“Integridade, perseverança e senso de justiça, aliados à humildade, aura de sua sabedoria” – João Carlos Pecci, Artista Plástico

Conheci o Wálter e família, quando ele beirava a idade adulta, buscando definições de existência e atividade profissional, e já mostrava firmeza e perseverança na conquista daquilo a que se determinara. Desde logo passei a admirá-lo e a participar, junto com amigos comuns, de suas convicções e maneira de enfrentar a vida. Nossas afinidades? Talvez a ponderação diante dos obstáculos, a ascendência italiana (nossos avós são da mesma região italiana de Molise) e o grande gosto por futebol, apesar de torcedores de times que concentram tanta rivalidade: ele, palestrino; e eu corintiano! Morávamos ele na Barra Funda e eu no Bom Retiro, bairros vizinhos habitados na maioria por famílias italianas, o que, de certa forma, fazia dessa rivalidade um forte elo aproximativo.

Integridade, perseverança e profundo senso de justiça, aliados à humildade, aura de sua sabedoria – eis o que destaco na personalidade do Wálter. Em sua brilhante carreira de juiz, desembargador, ministro da República e outras atividades em prol da Justiça, sempre exerceu suas funções com dignidade, competência e abnegação às causas que sugeriu, muitas delas valiosas no combate às drogas e na consecução do exercício do pleno direito à vida e à liberdade.

Aos 11 anos, meu avô paterno chegou a São Paulo, como tantos outros italianos, em 1895, com o objetivo de desbravar sonhos, e ajudou a construir o progresso da terra nova e promissora. Teve sete filhos e dezenas de netos, que hoje carregam no sangue a força ítalo-brasileira. Ainda não tive o prazer e a emoção de conhecer a cidade de origem de meu avô. Mas meu irmão Toquinho, violonista e compositor de nome Antônio Pecci, recebeu, em 2008, uma dignificante homenagem da “comune” de Toro por seu trabalho musical, reconhecido internacionalmente. Na ocasião, algumas de minhas telas de pintura foram exibidas na casa onde nasceu meu avô, numa demonstração de carinho e afeição, mesmo na minha ausência. Uma prova inconteste de como os italianos consideram aqueles que carregam no sangue as origens de sua terra.

Deixo aqui registrada minha profunda estima por Wálter Fanganiello Maierovitch e a certeza de que prosseguirá dedicando ao Parlamento italiano toda a competência e sabedoria demonstradas até hoje no exercício de suas funções, no intuito de aprimorar as relações de cidadania entre os cidadãos da Itália e do Brasil e, consequentemente, da América do Sul. Povos tão identificados por valores e tradições que se fortalecem cada vez mais ao longo dos anos e podem ser aperfeiçoados por projetos e leis. Ninguém mais merecedor do que o Wálter a ser legitimado para o exercício de tais ofícios no Parlamento italiano.

Alguns dos trabalhos de João Carlos Pecci

Musical
Relações Geométricas
Lampejos de Luz
Azul Aura

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here