“Um momento oportuno” – Avi Gelberg

Foto: Guga Gerchmann

O engenheiro Avi Gelberg, 54 anos, nasceu em Israel. Veio morar conosco há 30 anos, impulsionado pelo casamento com uma paulistana. À  parte sua vida pessoal, atualmente sua rotina se divide em três frentes , sem maiores variações de energia entre elas. A primeira é a sua empresa de autopeças intitulada  Syl, que têm unidades, distribuídas respectivamente nas cidades de Sorocaba, Boituva e Atibaia, no interior de São Paulo, somando 530 funcionários.  A segunda se concentra no prestigioso clube “A Hebraica”, do qual é presidente.  Vale à pena  discorrer sobre a instituição pelo menos em dois tópicos. Leon Feffer (1902-1999) foi um dos seus fundadores no ano de 1953. Da sua rica biografia, basta dizer que chegou da Ucrânia como imigrante em 1921 com 19 anos e que, quase de imediato, em 1924, criou a gigantesca Suzano Papel e Celulose, com milhares de empregados.  O segundo tópico refere-se a Gregori Warchvchik (1896-1972), arquiteto responsável pelo projeto do edifício. Ele foi pioneiro na introdução da arquitetura moderna em nosso país. Trouxe para cá os ares da Escola Bahaus, Le Corbusier, etc. Também projetou aquela que foi primeira casa modernista de São Paulo em 1927, na Rua Santa Cruz, Vila Mariana, que está devidamente tombada. Repetiu a dose no Rio de Janeiro em 1931. A terceira frente tem a ver com um grupo de amigos empresários dedicados  às atividades comunitárias.  Eles trocam idéias e experiências para promover aquilo que Avi  Gelberg resume como “fazer algo de bom”.  Por exemplo, na ressocialização de ex-presidiários. No caso das três unidades da Syl, sua empresa de autopeças, há cursos de profissionalização de jovens carentes e prioridade na sua contratação.

Segue abaixo seu depoimento em apoio à candidatura do desembargador Walter Fanganiello Maierovitch, que apenas vem enriquecer  sua campanha ao parlamento italiano.

“Meu primeiro contacto com o desembargador Walter Fanganiello Maierovitch se deu através de um grupo de amigos, simultaneamente colegas empresários, que têm estreita ligação entre si.  Une-nos a amizade, alicerçada  por interesses comuns no sentido de promover coisas boas e propositadas para a nossa sociedade, tanto na perspectiva pessoal como comunitária. A trajetória do desembargador, sua transparência de bons propósitos, o combate às ações ilícitas e/ou contrárias à ética harmonizaram com nossas ideias e nos aproximaram. Por isso, a sua candidatura  ao parlamento italiano trouxe-me entusiasmo e esperança.

Eu entendo que a sua boa representação como deputado vai produzir bons reflexos para o Brasil e para todos países  da América do Sul que têm raízes fincadas na Itália. Também acredito  que a candidatura ocorre num momento extremamente oportuno,  levando-se em conta as propostas que leva na sua esteira e que favorecerão grandemente a atuação dele . Elas vão de encontro a uma saudável  tomada de consciência, que se registra particularmente no Brasil, relativa à necessidade de se praticar a obediência à ética, aos preceitos legais e os princípios de cidadania, o respeito à representatividade política honesta , o interesse em defender o bem comum. São tendências que, felizmente, estão saindo do papel para ganhar corpo na vida real. Portanto, nesse cenário, o desembargador Fanganiello Maierovitch  anuncia uma nova e produtiva postura de atuação política.

Eu me coloquei à disposição para juntar forças à sua eleição”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here